sexta-feira, 30 de outubro de 2009

CASA GRANDE DO ENGENHO JACOCA

CASA GRANDE DO ENGENHO JACOCA
O engenho Jacoca pertenceu a Maneco França e sua casa grande foi construída em 1917 conforme está gravado na fachada frontal do casarão
Hoje, 30 de outubro de 2009, quando regressava do passeio/pesquisa em Ponta do Mato, resolvi visitar as ruínas do velho casarão da Jacoca, pois, em 2002 andei fotografando suas paredes e o que restava do antigo engenho.

A vontade e a ansidade de rever os escombros da velha casa e, poder imaginar como seria no áureo período em que era um engenho produtivo, provavelmente, aquela estrada seria tomada por animais e carros de bois, vindos do canavial, transportando a cana e o cheiro do mel deveria encher o espaço misturando-se à negras fumaça expulsa pela chaminé, obelisco canavieiro.


Para minha surpresa tudo havia se transformado na velha fazenda. Ao chegar à primeira porteira, vislumbrei uma enorme mansão construída no alto de uma colina e, imaginei o pior: o velho casarão deveria ter sido demolido. Isso me deixou muito triste e parecia que minha visita não ia valer à pena.

Quando cheguei à velha ruína meu coração bateu mais forte e fiquei deveras emocionado, ela estava lá, firme, imponente, parecia uma guardiã da história.


Em meio a tantas maldades e incompreensões presentes nos casarões e engenhos do vale encantado de Ceará-Mirim, o novo proprietário da fazenda, o senhor Gilmar da construtora Montana, teve a sensibilidade e valorizou aquele patrimônio histórico, cultural e arquitetônio, preservando sua fachada e dando-lhe uma nova funcionalidade.

Parabéns ao Sr. Gilmar e seria importante que outros proprietários de patrimônios arquitetônicos de Ceará-Mirim se espelhassem na sua atitude e restaurassem esses bens porque, assim, estariam preservando parte da história de nosso município, como por exemplo: Carnaúbal, Cruzeiro, Oiteiro, Morrinhos, Laranjeiras, Santa Rita, Santa Isabel, Guaramiranga, Ilha Bela, Santa Tereza, a antiga cadeia pública, o casarão dos Soares (Correira),a velha casa dos Meiras (proximo a Camara), o antigo olheiro, o cine paroquial entre outros.

4 comentários:

  1. Quanta recordação bonita
    quanta poesia

    Amo esse assunto
    ab: nininha bezerra

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo blog! Gostaria de um artigo (com fotos) da outra Jacoca, antigo posto do Ministério da Agricultura (que foi incorporado a uma escola agrícola). Foi nesse local que passei parte da minha infância.

    ResponderExcluir
  3. Gibson
    este aí é meu irmão,
    pra voce ver, toda familia tem um carinho e recordação especial por sua cidade
    Mamae fez uma poesia sobre a Jacoca, onde morávamos

    um abraço
    nininha bezerra

    ResponderExcluir
  4. Gilson Clementino da Silva17 de abril de 2011 13:12

    Fico feliz em poder ver que esses prédios estão sendo preservado

    ResponderExcluir